Casa das Pretas é o 1° centro de ações culturais e comunitárias do movimento negro, no Mato Grosso

Centro Cultural Casa das Pretas em Cuiabá, Mato Grosso – FOTO: IMUNE MT

Em 03 de outubro de 2020, o Centro Cultural Casa das Pretas foi inaugurado em Cuiabá. Aberto com a proposta de abarcar ações comunitárias protagonizadas pela comunidade negra – especialmente as mulheres negras -, o espaço é a primeira grande estrutura do movimento negro no estado. O prédio está localizado no centro histórico da capital mato grossense, em frente à Praça da Mandioca, região tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 

O Instituto de Mulheres Negras do Mato Grosso (IMUNE) é uma das organizações responsáveis pela fundação e organização da casa que reúne diversas linguagens e variadas produções, articulando iniciativas culturais, ações educativas sobre raça, gênero, equidade, pautas LGBTQI+ e formação política para participação cidadã na defesa dos direitos humanos, constituindo um centro de referência para a Cuiabá e para o estado de Mato Grosso.

Para o IMUNE é essencial a utilização de todas as salas do prédio, para garantir e assegurar que afroempreendedores tenham um local para mostrar os seus trabalhos e prestar serviços, gerando visibilidade, renda, autonomia financeira e, principalmente, para fortalecer a identidade e o sentido de pertencimento da população negra mato-grossense. Criado com o objetivo de empoderar jovens e mulheres negras, individual e coletivamente, o IMUNE às insere na luta contra o racismo e pela defesa de seus direitos. O espaço é gerido pelas próprias integrantes e suas atividades ocorrem por meio de parcerias com associações, sindicatos, instituições públicas e privadas.

O espaço físico que vai sediar o centro ainda vai sublocar salas para profissionais negras/negros que necessitam de um ambiente de trabalho, como um “afro coworking”. O intuito é diversificar a Casa e ao mesmo tempo reavivar o centro histórico cuiabano. As salas poderão ser utilizadas para promover encontros, para residência artística, como também dar oportunidade aos produtores quilombolas da agroecologia e para autônomos ou microempreendedores utilizarem para reuniões, cursos, ponto de comercialização, ministrar oficinas, cursos, realizar sarau e encontros em todas as áreas.

Veja o vídeo de apresentação do espaço: